Quais motivos levam você a beber?

Sair com os amigos, sentir-se parte de um grupo, deixar envolver-se pelos sentimentos de felicidade, raiva, tristeza, paixão, prazer, diversão. O consumo de bebida alcoólica é normalmente associado a momentos de prazer que nos damos o direito de relaxar e socializar, porém, não estamos isentos dos riscos.
Independente de como o álcool passa a assumir um lugar de importância  em sua vida social ou pessoal, um alerta deve ser destacado: a frequência do uso dentro do  período de uma semana, e se esse uso saiu das regras sociais. Existe uma classificação de uso que vai do abusivo de bebida alcóolica ao que é considerado consumo de risco. Fato é que a bebida alcóolica pode causar dependência química, e uma característica básica da doença é a perda de controle da ingestão.
Nós, como profissionais da saúde, sabemos que outro comportamento que atrapalha muito os indivíduos com alcoolismo -ou que sejam abusivos – é o mecanismo de defesa da negação. É muito difícil para quem tem o problema pedir ajuda ou reconhecer o fato em sua vida. Outro alerta de que o alcoolismo está instalado no comportamento da pessoa é que o indivíduo gasta muito tempo pensando na bebida e em como ele vai conseguir beber.
Além dos sinais já pontuados, a tolerância é um dos mais evidentes. A quantidade de bebida ingerida vai aumentando de forma que a pessoa não tenha a consciência disso. Este caminho, muitos alcoólatras trilham a ponto de desenvolver a doença da dependência química. A recuperação envolve muito esforço, que vai além de quem depende do álcool. Envolve a família, os amigos e todos que se importam com o dependente, ou são afetados de algum modo pelo vício do outro.

 

Por: Nárada Salomão